Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias, de Fernanda Montenegro

No livro "Prólogo, ato, epílogo", Fernanda Montenegro narra suas memórias numa prosa afetiva, cheia de inteligência e sensibilidade. Leia!


O livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias” Fernanda Montenegro revela  a origem de sua família, seu relacionamento com Fernando Torres, a perda do companheiro, os filhos, os anos de Chumbo e principalmente, sua carreira de mais de 75 anos como atriz.

O livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias” é um compilado de várias entrevistas feitas pela jornalista Marta Gós em formato de prosa e percorre, ao longo de 300 páginas, detalhes de sua herança familiar e pontos marcantes de sua carreira. O livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias” já está na lista dos livros mais vendidos nas loja de livros, como Amazon, Submarino ou Americanas.

Leia o livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias” online

Confira esta amostra do livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias”, oferecida pelo Google, com alguns capítulos para você conhecer o conteúdo desta publicação. Para ler o livro completo, adquira já o seu volume nas livrarias Amazon, Submarino ou Americanas!


Indicamos também:


Apresentação do livro

https://www.youtube.com/watch?v=lJxjjIr5bUo

“Para meus filhos, que cresceram na Zona Sul do Rio de Janeiro, nos anos 1960 e 1970, a saga de nossos antepassados pode parecer um folhetim. Ou uma tragédia. Para mim é uma realidade brutal de sobrevivência.

Descendo de gente quase medieval, ligada à agricultura e ao pastoreio. Junto deles eu cresci. A família de meu pai era de lavradores portugueses e a de minha mãe, de pastores sardos. Apenas uma geração me separa deles.”.

Assim inicia-se o livro “Prólogo, ato, epílogo”, de Fernanda Montenegro.

Sinopse do livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias”

No marco de seus noventa anos, as memórias de Fernanda Montenegro trazem o frescor de uma artista eternamente genial.

Em Prólogo, ato, epílogo, Fernanda Montenegro narra suas memórias numa prosa afetiva, cheia de inteligência e sensibilidade. Com sua voz inconfundível, ela coloca no papel a saga de seus antepassados lavradores portugueses, do lado paterno, e pastores sardos, do lado materno. Lidas hoje, são histórias que podem “parecer um folhetim. Ou uma tragédia” — gêneros que a atriz domina com maestria.

Na turma de jovens que circulavam pela rádio estava Fernando Torres, que ela reencontrou nos ensaios da peça Alegres canções na montanha, quando começaram a namorar. Fernando largou a Panair, Fernanda largou a Berlitz, e o casal se entregou de corpo e alma à arte, paixão de uma vida. Constituíram uma família e realizaram juntos um sem-número de peças, ao lado dos principais nomes do teatro brasileiro.

“Não estou romanceando. Tenho quase um século de vida, portanto posso dizer: ‘Era no tempo do rei’.”
— Fernanda Montenegro

Em páginas de grande emoção, ela relembra os desafios de criar os filhos sobrevivendo como artistas; a busca permanente pela qualidade; a persistência combativa durante os anos de chumbo; a capacidade de constante reinvenção; o padecimento de Fernando; o inesperado sucesso internacional nos anos 1990; a crença na terra que acolheu seus antepassados imigrantes e a devoção por esse país.

“Não se sabe o que mais admirar nela: se a excelência de atriz ou a consciência, que ela amadureceu, do papel do ator no mundo. Ela não se preocupa somente em elevar ao mais alto nível sua arte de representar, mas insiste igualmente em meditar sobre o sentido, a função, a dignidade, a expressão social da condição de ator em qualquer tempo e lugar.”
— Carlos Drummond de Andrade

Fernanda encarna o melhor do Brasil. Não surpreende que alguém que passou a vida memorizando textos tenha desenvolvido notável capacidade de rememorar com sutileza fatos ocorridos décadas atrás. A atriz que há anos encanta multidões em palcos e telas pelo mundo agora se mostra uma contadora de histórias de mão-cheia.

Sobre Fernanda Montenegro

Fernanda Montenegro é o nome artístico de Arlette Pinheiro Esteves da Silva Torres, nascida no Rio de Janeiro em 1929. Fernanda é atriz, locutora, radialista e apresentadora. Considerada uma das melhores atrizes brasileiras, é frequentemente referenciada como a grande dama do cinema e da dramaturgia do Brasil. Ela foi a primeira latino-americana e a única brasileira já indicada ao Oscar de Melhor Atriz. É também a única atriz indicada ao Oscar por uma atuação em língua portuguesa, sendo nomeada por seu trabalho em Central do Brasil (1998). Além disso, foi a primeira brasileira a ganhar o Emmy Internacional na categoria de melhor atriz pela atuação em Doce de Mãe (2013).

Dentre os inúmeros prêmios nacionais e internacionais que recebeu em seus mais de setenta e cinco anos de carreira, em 1999, foi condecorada com a maior comenda civil do país, a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito, “pelo reconhecimento ao destacado trabalho nas artes cênicas brasileiras”, entregue pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Além de ter sido cinco vezes galardoada com o Prêmio Molière, ter recebido três vezes o Prêmio Governador do Estado de São Paulo, ganhou ainda o Urso de Prata no Festival de Berlim de 1998 pela interpretação de “Dora” no filme Central do Brasil de Walter Salles, o que valeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz em 1999 e ao Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático. Recebeu também vários prêmios da crítica americana, no mesmo ano. Em 2013, foi eleita a 15ª celebridade mais influente do Brasil pela revista Forbes. Durante a Cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, Fernanda leu o poema “A flor e a náusea”, de Carlos Drummond de Andrade, dublado em inglês por Judi Dench.

Na televisão, foi a primeira atriz contratada pela TV Tupi, em 1951, onde estrelou centenas de teleteatros, que na direção revezavam-se Fernando Torres, Sérgio Britto e Flávio Rangel. Estreou nas telenovelas, em 1954, com A Muralha, na RecordTV, onde participou de outras produções. Realizou trabalhos na maioria das emissoras produtoras de teledramaturgia, como Band, TV Cultura, RecordTV e Rede Globo – onde permanece desde 1981 –, além das extintas TV Excelsior, TV Rio e a própria TV Tupi.

Mais sobre o livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias”, de Fernanda Montenegro

Com 392 páginas no total, possui o livro impresso possui acabamento padrão em Brochura. O livro PDF “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias” pode ser adquirido nas lojas Amazon, Submarino ou Americanas. Com nota 4.6/5, os leitores avaliam este livro como excelente.

Custando em torno de R$40, você ainda pode poupar dinheiro comprando o livro PDF, que normalmente é mais em conta na sua livraria online preferida.

Confira outros livros PDF da categoria Biografia

Se você gosta de Biografia, não deixe de ter o livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias” na sua coleção!Experimente novas emoções com este livro!

Especificações do livro “Prólogo, Ato, Epílogo – Memórias”

TítuloPrólogo, Ato, Epílogo – Memórias
CategoriaBiografia
ISBN9788535932553
AcabamentoBrochura
AutorMarta Góes, Fernanda Montenegro
Ano da edição2019
IdiomaPortuguês
Número da edição1
Número de Páginas392
País de OrigemBrasil

Leia Também



Livros em Oferta



voltar ao topo ↑